Jack Reacher: Sem Retorno traz mais ação e trama de maiores proporções

Jack Reacher está de volta. Baseado no best-seller homônimo, escrito por Lee Child, o filme Jack Reacher: Sem Retorno (Jack Reacher: Never Go Back, China/EUA, 2016) entra em cartaz no circuito nacional como um dos melhores representantes do gênero de ação deste ano. Novamente produzido e estrelado por Tom Cruise (Missão: Impossível), o longa-metragem, diferente da aventura anterior (lançada em 2012), concentra-se em apresentar mais momentos de adrenalina e inova ao colocar em jogo uma trama familiar.

Com a direção de Edward Zwick (O Último Samurai), a produção não traz muitas conexões relevantes com o primeiro título e acompanha o misterioso ex-policial militar Jack Reacher (Cruise) em uma nova missão. Desta vez, o protagonista ruma à base onde serviu na Virgínia (EUA), para se encontrar com a Major Susan Turner (Cobie Smulders, de Avengers: Os Vingadores), mas descobre que a moça foi presa por traição. Para livrar a colega da acusação, Reacher a resgata e a dupla se une para revelar uma conspiração do exército e uma empresa privada encarregada do fornecimento de armas.

Left to right: Tom Cruise plays Jack Reacher and Cobie Smulders plays Turner in Jack Reacher: Never Go Back from Paramount Pictures and Skydance Productions

Filmar Jack Reacher: Sem Retorno exigiu muito fôlego de Tom Cruise e Cobie Smulders! (Foto: Paramount Pictures)

Enquanto ambos se tornam fugitivos da lei, Jack Reacher é surpreendido com a possibilidade de ter uma filha adolescente, a indisciplinada Samantha (Danika Yarosh, de Heroes Reborn), que ocupa papel de destaque no longa e com quem Reacher tem diálogos interessantes, embora não saiba lidar com a garota. Além disso, ronda a ameaça do mercenário “The Hunter” (Patrick Heusinger, de Quantum Break), vilão que surge como uma ameaça constante ao trio principal e que boas cenas de combate com Reacher e Turner e perseguições tensas com a menina.

Apesar de possuir uma história de proporções maiores, a sequência da franquia mostra mais interesse em trazer sequências de ação do que uma busca por pistas, ao contrário do que foi o foco de Jack Reacher: O Último Tiro na estreia da série nas telonas. Outra novidade é a introdução do alívio cômico com a presença da jovem Samantha, que costuma desobedecer a seu suposto pai e, simultaneamente, revelar características bastante semelhantes às dele. Deste modo, o filme ganha ritmo e dinâmicas inéditas, assim como personagens femininas fortes.

Left to right: Tom Cruise plays Jack Reacher and Danika Yarosh plays Samantha in Jack Reacher: Never Go Back from Paramount Pictures and Skydance Productions

Para Reacher, é fácil encarar assassinos e policiais corruptos, mas uma filha de 14 anos… (Foto: Paramount Pictures)

Com Tom Cruise mais à vontade em seu personagem e entrosado com Cobie Smulders (o gênero de ação lhe caiu bem) e Danika Yarosh (uma revelação), Jack Reacher: Sem Retorno pode não ter uma trama tão envolvente quanto o anterior, mas certamente arrancará um “Uau!” do público com as coreografias e o impacto dado às lutas e tiroteios.

Left to right: Tom Cruise plays Jack Reacher and Gordon Alexander plays Cage Match Goon in Jack Reacher: Never Go Back from Paramount Pictures and Skydance Productions

Jack Reacher costuma deixar ossos quebrados por onde passa. (Foto: Paramount Pictures)

“Sem Retorno” traduz em cena o que diz esse subtítulo ao apresentar uma jornada eletrizante, com muita correria, sempre em frente e nenhum tempo para retrocesso.

Jack Reacher: Sem Retorno estreia em 24 de novembro nos cinemas brasileiros.

Comentários

comentários

Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado) em 2013. Atuou na redação dos portais Pensamento Verde e Mundo Carreira. Fundador do Boletim Nerd, realizou a cobertura dos eventos Comic Con Experience, Brasil Game Show e Campus Party e do lançamento de Star Wars: O Despertar da Força, Capitão América: Guerra Civil e Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

Comentários estão fechados